O Teste Disc é uma teoria postulada pelo psicólogo Dr. William Moulton Marston em seu livro “Emotions of Normal People” (1928), publicado pela primeira vez em português no ano de 2014, com o nome de “As Emoções das Pessoas Normais”, que determina alguns padrões de comportamento. A partir desta teoria, foram elaboradas ferramentas para análise de perfil comportamental, sendo o primeiro instrumento de mensuração (Activity Vector Analysis) desenvolvido por Walter Clarke (1945). Tais avaliações consideram comportamentos ou emoções observáveis, não abrangendo, portanto, a personalidade dos indivíduos.

As avaliações são feitas testando as preferências de uma pessoa a partir da associações entre palavras. DISC é uma sigla para:

  • Dominância – relativo a como a pessoa lida com problemas e desafios.
  • Influência – relativo a como a pessoa lida com pessoas e influencia os outros.
  • Estabilidade – relativo a como a pessoa lida com mudanças e seu ritmo.
  • Conformidade – relativo a como a pessoa lida com regras e procedimentos estabelecidos por outros.

Estas quatro dimensões (DISC) podem ser agrupadas em uma grade, sendo os quadrantes superiores ocupados pelos padrões “D” e “I” (representando os perfis mais ativos) e “C” e “S” abaixo (representando os perfis mais receptivos). “D” e “C”, em seguida, compartilham a coluna da esquerda e representam estilos mais focados em tarefas/resultados, enquanto “I” e “S” compartilham a coluna da direita e representam estilos mais voltados a pessoas. Nesta matriz, a dimensão vertical representa um fator de “comportamento ativo” ou “comportamento receptivo”, enquanto a dimensão horizontal representa “ambiente percebido como desfavorável” versus “ambiente percebido como favorável”.

Dominância: Pessoas com alta pontuação no fator “D” são muito ativas ao lidar com problemas e desafios. Descritas como egocêntricas, diretas, ousadas, dominadoras, exigentes, enérgicas, determinadas. Já baixas pontuações “D” indicam pessoas mais moderadas e conservadoras, descritas como discretas, realistas, conservadoras, pacíficas, precavidas e modestas.

Influência: Pessoas com altos escores de “I” gostam de influenciar os outros através de conversas e atividades e tendem a ser emocionais. São descritas como entusiastas, persuasivas, convincentes, amistosas, comunicativas, confiantes e otimistas. Já aqueles com baixos escores de “I” influenciam mais por dados e fatos e não com sentimentos, sendo descritos como reflexivos, seletivos, factuais, recatados, desconfiados, pessimistas.

Estabilidade: Pessoas com altos escores em “S” apreciam um ritmo constante, segurança e não gostam de mudanças súbitas. São indivíduos descritos como pacientes, confiáveis, calmos, leais, persistentes, gentis, previsíveis. Já baixos escores em “S” estão relacionados ao apreço por mudança e variedade e tais indivíduos são descritos como móveis, alertas, inquietos, impetuosos, espontâneos, impacientes e até mesmo impulsivos.

Conformidade: Pessoas com alto escore em “C” valorizam aderir a regras, regulamentos e estrutura. Gostam de atuar com qualidade e fazer certo desde a primeira vez. São descritas como disciplinadas, cautelosas, sistemáticas, precisas, analíticas, perfeccionistas e lógicas. Já os com baixos escores em “C” tendem a desafiar regras e buscam independência. Descritos como independentes, obstinados, voluntariosos, teimosos, rebeldes, arbitrários e indiferentes a detalhes.

Vale lembrar que não somos 100% um só estilo. Na verdade, costumamos ter um ou dois estilos que predominam, e nenhum é melhor que o outro.

Quer se conhecer e descobrir mais sobre você mesmo? Entre em contato conosco e agende sua Sessão Experimental Transformadora totalmente gratuita.

 

CLIQUE AQUI E FAÇA O TESTE DISC

Faça o teste DISC e descubra em que tipo de ambiente você se dá melhor, para que tarefas pode ser útil e como você pode potencializar seus pontos fortes.

Fontes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *